GLOSSÁRIO

Aquecimento Global: é o aumento da temperatura média da Terra.


Atmosfera: camadas de gases que envolvem alguns planetas. No planeta Terra, a atmosfera é composta basicamente por Nitrogênio (N2), Oxigênio (O2), Argônio (Ar) e Dióxido de Carbono (CO2).


Biodiversidade: é a diversidade de vida no planeta Terra, incluindo a variabilidade genética dentro de populações e espécies, desde microorganismos até o ser humano.


Biomas: cada um dos grandes meios do planeta: oceano, continente, conjunto de águas doces, cobertura de gelo, etc.


Calor: é a transmissão de energia térmica entre dois corpos.


Carbono (C): elemento químico de número atômico igual a seis. Presente em todos os seres vivos, este elemento pode ser encontrado, na natureza, sob as formas de grafite e diamante.


Clima: comportamento médio da atmosfera por um longo período de tempo: meses ou anos.


Combustíveis Fósseis: substâncias de origem mineral ou materiais orgânicos, compostos de carbono com milhões de anos, como o carvão mineral, o petróleo e o gás natural.


Compostos: formados por.


Concentração: ato ou efeito de concentrar, reunir num centro, fazer convergir.


Decomposição: processo pelo qual passam os animais e vegetais após a morte. Realizado com a ajuda de fungos e bactérias que transformam a matéria orgânica em minerais, que por sua vez podem ser assimilados pelas plantas.


Degradar: destituir, danificar, desvalorizar.


Disseminar: espalhar, semeiar, difundir, propagar.


Ecossistema: conjunto de seres vivos e seres inanimados, sob determinadas condições físicas, químicas e biológicas, suas interações e interdependências.


Efeito Estufa: fenômeno natural que faz com que a temperatura da Terra seja maior do que a que seria na ausência de atmosfera.

Emissão: liberação, ato ou efeito de emitir, sair de si.


Expansão: ato ou efeito de expandir, aumento, desenvolvimento.


Fenômenos: acontecimento observável, manifestação, sinal.


Gás Carbônico (CO2): molécula composta por um átomo de carbono e dois átomos de oxigênio. Gerado por todo tipo de combustão, o gás carbônico também pode ser chamado de Dióxido de carbono e não deve ser confundido com Monóxido de carbono (CO).


Intensificar: tornar mais forte, mais ativo


Inundação: transbordamento de uma área por águas fluviais, por chuva, neve derretida, etc.


Irreversíveis: que não se pode reverter, não se pode fazer no sentido inverso.


Mudanças Climáticas: são as mudanças climáticas causadas pelo homem.


Nitrogênio (N): elemento químico de número atômico igual a sete. É parte essencial dos aminoácidos e ácidos nucléicos, fundamentais aos seres vivos. Na natureza é encontrado sob estado gasoso.


Poluição: qualquer introdução ao meio ambiente de matéria ou energia em quantidade superior à capacidade de absorção natural da região.

Preservar: proteger de algum dano futuro, por ao abrigo (de algum mal), resguardar, defender.


Projeções: ato ou efeito de projetar, ato ou efeito de imaginar, formar o desígnio de.


Proveniente: que provém, derivado de, procedente, oriundo.


Vendaval: vento muito forte e tempestuoso.

 


INTRODUÇÃO


Você já deve ter ouvido falar em aquecimento global, mudanças climáticas, energias renováveis, preservação ambiental e reciclagem de materiais. Mas por que devemos nos preocupar com as mudanças climáticas? Como elas interferem no nosso dia-a-dia e o que podemos fazer para diminuir os seus efeitos e nos adaptar a eles?

 

COMO TUDO COMEÇOU


No início do século XIX o matemático francês Jean Baptiste Joseph Fourier foi o primeiro a perceber que a atmosfera da Terra funciona como uma grande estufa, criando um ambiente favorável para a vida das plantas e dos animais.

 

Ele constatou que os gases atmosféricos absorvem energia na forma de calor, elevando a temperatura da superfície da Terra.


No final do século XIX, outro grande cientista, Svante Arrhenius, criou um modelo matemático para estudar a influência do gás carbônico da atmosfera sobre a temperatura da Terra.


Em 1896 Arrhenius calculou o aumento da temperatura se a quantidade de CO2 na atmosfera duplicasse. Para isso, baseou-se no conceito de “estufa”, introduzido em 1827 por Fourier.

 

 

 

O EFEITO ESTUFA

 

Para entender o efeito estufa, pense em um veículo parado sob a luz do sol com todos os vidros fechados. Os raios chegam ao veículo na forma de radiação solar visível, passam pelos vidros e aquecem o interior do veículo. O calor aí gerado tem dificuldade para sair pelos vidros aquecendo o interior do veículo.


O mesmo ocorre com a atmosfera da Terra. Alguns gases, como vapor d’água e gás carbônico (CO2), funcionam como o vidro do veículo, deixando entrar a radiação mas dificultando o retorno do calor para o espaço.


Como podemos ver, efeito estufa é um fenômeno natural que faz com que a temperatura média da superfície da Terra seria de -18° C, ao invés dos 15° C que temos hoje.


Quando aumenta a concentração de gases estufa na atmosfera, que é o caso do gás carbônico, o efeito estufa fica mais intenso e fica mais difícil o calor ir para o espaço. Essa diferença causa o aquecimento da baixa atmosfera, elevando a temperatura média da Terra e causando mudanças climáticas.

 

 

 

REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

 

As mudanças climáticas causadas pelo homem estão associadas ao aumento da emissão de gases de efeito estufa por queima de combustiveis fósseis, queimadas, desmatamento, decomposição de lixo, entre outras causas.


A partir do final do século XVIII e na segunda metade do século XX, houve uma expansão da produção industrial causando o aumento de emissões de gases de efeito estufa.


Existem fortes indícios de que o clima está de fato mudando. As últimas duas décadas foram as mais quentes dos últimos 1.000 anos.


As projeções do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) indicam que nos próximos 100 anos poderá haver um aumento da temperatura média global entre 1,8° C e 4,0° C, e um aumento do nível médio do mar entre 18 cm e 59 cm, o que pode afetar significativamente as atividades humanas e os ecossistemas terrestres.

 

 

 

AQUECIMENTO GLOBAL

 

O aquecimento global tem impactos profundos podendo causar a extinção de espécies animais e vegetais, alteração na frequência e intensidade de chuvas, elevação do nível do mar e intensificação de fenômenos meteorológicos como tempestades severas, inundações, vendavais, ondas de calor e secas prolongadas.


As ações humanas têm interferido sobre o ambiente num ritmo muito acelerado. Estudos indicam que, enquanto a temperatura média global subiu, aproximadamente, 5° C em 10 mil anos, pode aumentar os mesmos 5° C em apenas 200 anos se continuar o ritmo das últimas décadas.

 

 

 

O HOMEM ESTÁ MUDANDO O AMBIENTE

 

  • A cada hora, 9 mil pessoas somam-se à população mundial;

  • A cada hora, 4 milhões de toneladas de CO2 são emitidas;

  • A cada hora, 3 espécies são extintas (1.000 vezes mais rápido do que os processos naturais);

  • A cada hora, atividades humanas adicionam ao ambiente 1,7 milhões de quilos de nitrogênio reativo;

  • A cada hora, 1.200 hectares de florestas são derrubados.
  •  

     

     

    COMO ISSO AFETA NOSSA VIDA

     

    Há dois cenários extremos, um com maiores emissões e, portanto, pessimista e outro menos pessimista, de Mudanças Climáticas para o Brasil, projetando o que poderá ocorrer até o ano 2100.


    O cenário pessimista estima um aumento na temperatura entre 4° C e 6° C, ocorrência de extremos de chuva e seca, alteração da distribuição das áreas dos biomas, alterações na biodiversidade, impactos na saúde da população, na agricultura e na geração de energia.


    O cenário menos pessimista prevê um aumento médio de temperatura de 1° C a 3° C, e impactos parecidos com o cenário pessimista só que em menores proporções.

     

     

     

    COMO VOCÊ PODE AJUDAR

     

    Muitos prejuízos causados pela ação indevida do homem na natureza são irreversíveis. As espécies que foram extintas nunca mais existirão.

    E a diminuição do grau de aquecimento global depende da vontade dos governos e das pessoas em reduzir a emissão dos gases de efeito estufa.


    Mas cabe a cada um de nós mudarmos nossos costumes para uma nova realidade de vida. Você pode ajudar bastante na conscientização das pessoas mais velhas, dos governantes e dos meios de comunicação.

     

     

     

    CONSTRUINDO UM NOVO PLANETA

     

  • As áreas verdes são importantes para reduzir as temperaturas máximas. As árvores trazem sombra e frescor ao ambiente sem gasto de energia. Uma cidade com muitas áreas verdes é menos quente.

  • Pintar telhados com tinta refletiva diminui a temperatura interna da construção.

  • Uma cidade onde as casas têm mais jardins e quintais e menos áreas de asfalto e concreto também está mais protegida das inundações.

  • O Brasil é um dos únicos países que fabrica automóveis do tipo flex, que funcionam com álcool ou gasolina. O álcool é menos poluente do que a gasolina, dê preferência a esse combustível.

  • No Brasil, 58% das emissões de gases de efeito estufa são provenientes de queimadas e desmatamento. É fundamental encontrar caminhos para o desenvolvimento dos biomas sem degradar essas regiões.
  •  

     

     

    E QUANDO VOCÊ CRESCER

     

    Você pode participar da preservação do planeta, sendo um pesquisador da área de Mudanças Climáticas ou da área de Ciência do Sistema Terrestre, ou um cidadão consciente de suas responsabilidades.


    Veja algumas questões para as quais os cientistas estão buscando respostas:

  • Como enfrentar os grandes aumentos do nível do mar que ocorrerão por causa do derretimento do gelo continental?

  • Como modificar e adaptar a agricultura à nova realidade ambiental?

  • Como salvar espécies da fauna e da flora de uma possível extinção?

  • Como conservar a biodiversidade da Amazônia, do Cerrado e da Caatinga, tão importante para o equilíbrio ambiental de todo o planeta?

  • Como manter a qualidade de vida que conhecemos hoje sem aumentar o nível de emissão de gases de efeito estufa?
  •  

     

     

     

    MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO INPE

     

    As causas das mudanças ambientais e os seus impactos são objeto de estudo do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o INPE. A área de Ciência do Sistema Terrestre tem como um de seus objetivos gerar cenários que mostram as mudanças que poderão ocorrer no uso e na cobertura da terra.

     

    Os pesquisadores também estudam as implicações das mudanças ambientais no desenvolvimento do país.

     

    O INPE lidera a Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais (Rede Clima) que gera e dissemina conhecimento e tecnologia para que o Brasil possa responder aos desafios provocados pelas mudanças climáticas globais.